Cinco curiosidades sobre a história da cachaça

Cinco curiosidades sobre a história da cachaça

Conheça as curiosidades mais interessantes sobre a história da cachaça. 

1| Foi por causa da cachaça que aconteceu a primeira revolta popular no Brasil. Em 1660, fazendeiros do Rio de Janeiro se levantaram contra o domínio português por causa da proibição da produção e circulação de cachaça no território brasileiro. A “Revolta da Cachaça” acabou derrubando o governador da província e, mesmo sendo militarmente derrotada, acabou obrigando a coroa portuguesa a permitir novamente a produção da cachaça.  

2| A origem do nome “pinga”, uma das inúmeras denominações da cachaça, é bastante inusitada. Segundo a crença popular, escravos que faziam melaço de cana escondidos acabaram sendo descobertos e punidos pelo feitor. O caldo, no entanto, ficou no fogo e acabou fermentando. Após condensar no teto do engenho, o líquido que pingava era nada mais nada menos que cachaça. Daí o apelido de “pinga”, devido a esse gotejamento. 

3| Tiradentes, mártir da inconfidência mineira e uma das mais importantes figuras da luta pela independência do Brasil, era também produtor de cachaça e um dos maiores fãs da bebida. Diz a lenda que, prestes a ser enforcado, o herói nacional teria feito um último pedido: “molhem minha goela com cachaça da terra”. 

4| O Conde D´Eu, marido da Princesa Isabel e genro do Imperador Dom Pedro II, era um grande bebedor de cachaça. O nobre fazia encomendas da bebida a vários alambiques de Paraty, no Rio de Janeiro. Nas festas da corte, a bebida era amplamente consumida por toda a nobreza, conferindo à cachaça o status de preferência nacional do Brasil. 

5| A Revolta da Chibata foi uma das mais importantes rebeliões do período da República Velha e a cachaça teve papel importante nesse episódio. Em 1910, um marinheiro chamado Marcelino Rodrigues tentou embarcar no navio Minas Gerais levando duas garrafas de cachaça. Na época, a marinha punia severamente qualquer ato de indisciplina. Marcelino foi condenado à 250 chibatadas, um castigo absurdo mesmo para os padrões da época, gerando revolta dos marujos que acabaram se insurgindo contra os maus tratos que sofriam a serviço da marinha.